Boa notícia: são poucas as doenças que impedem uma mãe de amamentar. Portadoras do vírus HIV, por exemplo, não devem amamentar sob o risco de transmiti-lo para o filho. Algumas enfermidades debilitantes, como a insuficiência cardíaca, também não combinam com o ato de amamentar, pois podem comprometer o estado de saúde materno.

Febre, resfriado, gripe e viroses, de modo geral, não impedem a amamentação, mas vale conversar com o médico sob a possibilidade de usar uma máscara para proteger o bebê. Diferente do que acontecia durante a gravidez, há vários medicamentos e antibióticos permitidos às lactantes, então nenhuma mulher precisa ficar sofrendo ou esperando que o transtorno vá embora naturalmente. Aliás, quanto antes se recuperar, melhor para a criança, certo?

Até mesmo doenças como rubéola ou hepatites A, B e C não são impeditivas. Em todo o caso, sempre comunique ao médico – principalmente se precisar recorrer ao pronto-socorro – que está amamentando e quanto tempo tem o seu bebê, para que o profissional estabeleça o tratamento mais adequado.

E mais:

+ 10 bons motivos para amamentar

+ Descubra soluções para possíveis problemas com a amamentação

+ Terceiro mês de vida: o que esperar?

Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e gratuito.

Ei, gostou do conteúdo?
Então não deixe de assinar nossa newsletter e receba os melhores conteúdos sobre gravidez, maternidade e o mundo dos bebês. Além disso, receba grátis também 3 livros infantis em formato de e-book.

    É Gratuito ;)

      Ei, gostou do conteúdo?
      Então não deixe de assinar nossa newsletter e receba os melhores textos sobre gravidez, maternidade e o mundo dos bebês.
      É Gratuito ;)