Brincar é muito importante para estimular a conquista de novas habilidades, sobretudo para os bebês. Conversamos com uma especialista que deu dicas de brinquedos que ajudam no desenvolvimento do seu filho, enquanto ele se diverte

Brincar é divertido, mas você sabia que vai muito além do prazer? É por meio das brincadeiras que as crianças aprendem. É assim que elas desenvolvem também uma série de habilidades importantes. São desde movimentos, como o de levar algo à boca ou chacoalhar algo ou apertar um botão para ouvir um som ou ver uma luz, até o raciocínio, como o de pegar uma peça de certo formato para encaixar no lugar certo. Parecem coisas pequenas, mas são muito importantes e levam a conquistas maiores mais para frente. Alguns brinquedos podem ajudar a estimular essas habilidades, como explica a neuropsicóloga Deborah Moss, mestre em Psicologia do Desenvolvimento (USP). 

* Todas as imagens dos brinquedos abaixo são clicáveis: você pode ir direto para a loja

+ Dia das crianças: ideias de brinquedos para dar de presente, por idade

“Antigamente, talvez na época dos nossos avós, bisavós, quando um bebê nascia, os pais não sabiam se ia ‘vingar’ ou se ia morrer nos primeiros meses. O recém-nascido era visto com muita fragilidade. Então, ele era pouco estimulado, ficava deitado, enrolado em um cobertorzinho. Hoje, o bebê já nasce alerta, interage, mesmo que de forma simples ainda, então, ficam mais livres”, explica. “Hoje, se coloca um móbile no berço. Parte-se do pressuposto de que o bebê enxerga. Colocamos música, porque sabemos que ele escuta. Além disso, os pais conversam com ele, então, desde a maternidade, ele já é envolvido nesse manto da linguagem”, conta 

Segundo a neuropsicóloga, os brinquedos que ajudam no desenvolvimento têm uma função importante. Eles auxiliam no aprendizado da linguagem, na parte motora, cognitiva e social. Mas quais deles oferecer aos bebês, para aproveitar melhor essa chance de estimular certas habilidades? Com a ajuda de Deborah, montamos uma lista. 

Móbiles

O bebê observa os brinquedos em movimento e, mais para frente, vai tentar alcançá-los com as mãos. Alguns móbiles têm som e luzes também. 

Brinquedos que ajudam no desenvolvimento: móbile safári

O móbile ajuda a estimular as visão do bebê, enquanto ele está no berço. Este, da Sleepbaby, tem tema safári

Chocalhos

O bebê pega o brinquedo com a mão e chacoalha. “São brinquedos que possam ter uma ação e reação. isso é muito importante nessa fase”, explica a neuropsicóloga.

Brinquedos que ajudam no desenvolvimento: chocalho

Kit chocalho: estimula ação e reação, com o som

Mordedores

Todas as crianças passam pela chamada fase oral, que é quando começam a explorar o mundo pela boca. Então, brinquedos feitos para que elas coloquem na boca ajudam. Ah, eles não devem ter pecinhas que possam se soltar, por exemplo. Fique atento! Sem falar de quando as gengivas começam a coçar, antes da chegada dos dentes

Mordedor: brinquedos que ajudam no desenvolvimento

Os mordedores, como este, de girafinha, são grandes aliados na fase oral: o bebê explora o mundo usando a boca

+ Mais autonomia do bebê, mais quedas e acidentes

Livrinhos sensoriais também são brinquedos que ajudam no desenvolvimento

Livrinhos nos quais as crianças podem mexer e ter sensações diferentes também estimulam a parte do tato. 

Brinquedos que ajudam no desenvolvimento: livro sensorial

Neste livrinho, cada página tem uma textura diferente para o bebê sentir e se surpreender

Tapetinhos de atividades

“É muito importante deixar o bebê no chão porque é assim que ele vai desenvolver habilidades importantes como rolar e, mais para frente, engatinhar”, diz Deborah. Aposte nos tapetinhos de atividades. Pode ser também um tapete de EVA comum, com brinquedos de interesse da criança espalhados em cima. Pode ajudar. 

Tapetinho de atividades
O tapetinho de atividades: brincando no chão, o bebê se prepara para rolar e engatinhar

Centro de atividades: brinquedos que ajudam no desenvolvimento

Quando o bebê já senta, existem também as cadeirinhas que são centros de atividades. A criança fica sentada ali, segura, e consegue usar as mãos e os braços para explorar as brincadeiras. 

Centro de atividades também ajuda o bebê a aprender, brincando

Centro de atividades ajuda o bebê a se divertir, sentado e em segurança

+ Dicas de brinquedos interessantes para bebês e como organizá-los

Formas para encaixar

Os brinquedos de encaixar formas geométricas ajudam a desenvolver o raciocínio e a coordenação motora. É o caso dos bebês um pouco maiores. “Se a criança vê uma peça que não se encaixa, então, ela vai tentar achar formas de resolver esse ‘problema’. Isso estimula a questão do raciocínio”, explica a neuropsicóloga.

Brinquedo para encaixar as formas desenvolve raciocínio
Encaixando as formas, o bebê aprende a exercitar o raciocínio

Andador, não!

Muitos pais ainda insistem em colocar as crianças em andadores. A recomendação dos pediatras e especialistas em segurança é, no entanto, para não usar. Além de atrapalhar o desenvolvimento, também aumenta a chance de acidentes. Risque da listinha!

Brinquedos que não são brinquedos

Quem é pai, mãe ou já presenteou alguma criança pequena com um brinquedo sabe. Muitas vezes, os pequenos se interessam mais pela caixa da embalagem do que pelo brinquedo, em si. É normal e muito positivo para o desenvolvimento, segundo Deborah. “Muitas vezes, objetos como retalhos, plástico bolha, papéis… Tudo vira diversão. Existem muitas coisas que podem servir como brinquedos. São objetos que ajudam no desenvolvimento e que não necessariamente têm custo alto ou precisam ser comprados. As crianças gostam muito de amassar papéis, de pisar em caixas, como as caixas de ovos, por exemplo. Isso tudo ajuda a desenvolver a criatividade também”, explica. Só fique de olho para o bebê não levar os objetos à boca.

Brincar livre

É claro que os pais queiram ajudar a estimular o desenvolvimento e as habilidades dos filhos. Apesar disso, é importante lembrar que um brinquedo também pode simplesmente servir para a diversão. “Brincar livre também é muito importante para a criança”, orienta a neuropsicóloga. “A brincadeira não precisa ser estímulo o tempo todo. O estímulo é uma consequência do brincar Deixe as crianças livres para que elas explorem da maneira delas. Em pouco tempo, estarão rolando, girando, desenvolvendo o raciocínio. Mais do que isso: desenvolverão essa capacidade de estar bem consigo mesmas. Assim, não precisarem o tempo todo ter alguém olhando ou interagindo para se divertirem”, finaliza a especialista.

E mais: 

+ Móbiles: vale a pena comprar para o berço do seu filho?

+ Como deixar a casa segura para o bebê

Quer saber mais? Assine a newsletter de BabyHome e receba toda semana mais dicas sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e grátis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *