Antes de voltar a trabalhar, bate aquela ansiedade, quase desespero: com quem seu filho vai ficar ao fim da licença-maternidade? Com um bebê tão pequeno, que não fala e demanda cuidados intensivos, qual opção vai te deixar mais segura? E, considerando que hoje muitas famílias não podem contar com os avós para cumprir essa tarefa – porque eles ainda trabalham, têm suas próprias atividades ou não estão em condições plenas de disposição ou saúde –, resta como alternativa contratar uma babá ou colocar o bebê no berçário. Mas o que é melhor?

Não há uma resposta única, e ela também pode mudar, caso você considere que a escolha não deu certo. Por isso, BabyHome lista aqui as vantagens e desvantagens dos serviços de babá e creche para que você possa se decidir pelo que melhor se adapta à sua família.

Berçário

Vantagens:

  • Por conviver com outras crianças, seu filho tende a socializar mais rápido e acaba se desenvolvendo antes, ao imitar o comportamento dos amigos.
  • A convivência também dá a ele noções de partilha, solidariedade e empatia.
  • Há sempre mais de uma cuidadora a tomar conta dos bebês e os casos de maus-tratos acabam sendo mais raros.
  • Seu bebê fará atividades desenvolvidas por pedagogas, orientadas para a faixa etária dele.
  • Nas boas creches, o cardápio costuma ser elaborado por uma nutricionista e você não precisa se preocupar em mandar a refeição.
  • Alguns berçários têm câmeras de monitoramento às quais os pais têm acesso – a medida gera controvérsias pela superproteção e vigilância excessiva, mas o lado bom é que sempre que der uma saudade, você pode dar uma espiadinha no seu filho.
  • Boa parte dos berçários não adota período de férias, e você não precisará se preocupar com isso.

Desvantagens:

  • Exatamente por conviver com muitas crianças, o bebê tende a ficar mais doente – resfriados, otites, viroses e outras doenças infectocontagiosas são comuns. E os pais devem estar preparados para ficar com o filho em casa quando isso acontecer.
  • A cuidadora não é escolhida por você, mas pela direção da creche e pode ser substituída por outra. Além disso, seu bebê se adapta ao berçário, não o contrário.
  • Não há apenas uma profissional para cuidar exclusivamente do seu filho. O ideal é que cada berçarista cuide de, no máximo, quatro bebês – embora o Ministério da Educação (MEC) recomende que cada professora cuide de, no máximo, 6 a 8 bebês de 0 a 2 anos, deixando a cargo de Estados e municípios para regular o número que acharem mais adequado.  
  • Os horários estendidos não costumam ir muito além das 19h. Se você tiver um imprevisto, vai precisar acionar alguém para buscar o bebê.

Babá

Vantagens:

  • Você é quem escolhe a profissional e pode orientá-la a cuidar do seu filho da maneira que prefere. Na creche, não há essa influência.
  • Não é preciso se deslocar com o bebê, já que a babá vem até sua casa – o que é uma vantagem nos dias chuvosos ou frios e em cidades com muito trânsito.
  • As babás cuidam de tudo relacionado ao bebê, ou seja, lavam e passam as roupinhas, fazem as papinhas e limpam o quarto da criança. Algumas profissionais, no entanto, também se responsabilizam pelos cuidados com a casa – mas isso deve ser negociado na contratação, pois não essas tarefas não são próprias de babá.
  • Se você precisar trabalhar até mais tarde ou tiver um compromisso, pode negociar com a babá horas extras.
  • Ela pode começar a trabalhar antes do fim da licença-maternidade, enquanto você ainda está em casa. Isso permite que você consiga descansar um pouco e tomar um banho com calma.

Desvantagens:

  • Você terá de confiar na pessoa contratada, que ficará sozinha com seu filho, tanto na questão de tratar bem seu bebê como de seguir suas recomendações, especialmente as alimentares. Por isso, o importante é que ela tenha ótimas referências e que você as cheque antes de contratar – de preferência, que sejam de conhecidos seus.
  • Além do salário combinado, você precisará colocar na ponta do lápis os gastos com os encargos trabalhistas, que acrescem consideravelmente o valor desembolsado.
  • Você perde um pouco da privacidade da família.
  • A babá pode ter imprevistos ou ficar doente e precisar faltar ao trabalho ou chegar mais tarde. Você deverá ter sempre um plano B para essas ocasiões.
  • Nem todas as babás seguem as orientações dadas, como oferecer apenas os alimentos permitidos pelos pais.

Analise também:

Valores: o déficit de vagas em creches públicas costuma ser grande em todas as cidades. Portanto, provavelmente você terá de pagar por uma, e o preço dependerá da região e da infraestrutura oferecida. No caso da babá, ela precisará ser registrada e, nas férias, você terá de procurar uma alternativa caso não consiga tirar férias no mesmo período.

PUBLICIDADE

Avós: prós e contras

É a alternativa mais econômica, certamente, e a que você tem certeza de que seu filho receberá muito carinho. A desvantagem é que o modo de educar dos avós e dos pais são geralmente diferentes e isso acaba acarretando algumas brigas e dores de cabeça. Se os avós forem aqueles que não respeitam a forma de você criar o bebê, melhor optar por outro arranjo e deixá-los apenas com a gostosa relação de cumplicidade (e mimos) com os netos. Além disso, criança tem muita energia e curiosidade e nem sempre os avós conseguem acompanhar esses cuidados.

Coworking materno: outra opção

Mães empreendedoras ou que trabalham em esquema de home office podem recorrer a uma modalidade ainda pouco explorada no Brasil, mas que se mostra bastante vantajosa: o coworking materno. Em um mesmo endereço, é oferecida toda a estrutura do coworking, com acesso à internet, linha de telefone e sala para reunião, e, em um espaço separado, uma espécie de creche, com profissionais para tomar conta do bebê enquanto você trabalha. Isso facilita muito a rotina das mamadas e, sempre que você quiser, pode ver seu filho – inclusive brincar com ele na área infantil e almoçarem juntos.

Folguista ou babysitter para casos eventuais

No Brasil, a figura da folguista, que fica com as crianças no fim de semana, para cobrir o descanso da babá, e da babysitter para dias eventuais são menos comuns. Em um e outro caso, há agências especializadas que oferecem esse tipo de profissional, além de babás fixas, mas cobram uma porcentagem pelo agenciamento – os valores variam conforme as cidades. Vale a pena checar com os berçários, que podem ter boas indicações – profissionais que trabalham ou já trabalharam lá. Por fim, há sites e aplicativos que conectam pais e babás.

Se essa não for uma opção, procure referências de quem já precisou para encontrar uma boa profissional. Mas, em geral, quando os pais precisam sair à noite ou têm um compromisso, acabam apelando mesmo para a rede de apoio– avós, tios e até pais de amigos da escola, no caso dos maiores.

E mais:

+ A importância de construir uma rede de apoio

+ Sem culpa ao retornar ao trabalho

+ A importância da naninha para o bebê

Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e gratuito.