Não são poucos os casais que relatam dificuldades para retornar à vida afetiva e sexual. Cansaço, preocupações, dedicação integral ao bebê e até medo de sentir dor ou se machucar são alguns dos fatores por trás de toda essa tensão. Com alguns cuidados básicos, porém, dá para encarar essa etapa com mais tranquilidade. O importante é não forçar a barra, certo? Confira algumas informações e dicas úteis:

Siga a “licença” necessária

No caso do parto normal, o recomendado é esperar de 30 a 40 dias para retomar o sexo com penetração. Esse período é necessário para que o interior do útero pare de sangrar e cicatrize. Já a cesárea, por conta do corte maior, requer entre 60 a 90 dias de espera. Para o sexo oral, não há tempo mínimo de espera – vale lembrar que, após o parto, há uma fase de até seis semanas de sangramentos (lóquios).

Vá devagar

O desejo pode ficar afetado nesse período porque a prolactina, o hormônio responsável pela produção de leite, afeta a libido e ainda provoca ressecamento vaginal. A ansiedade e o medo interferem nas emoções e podem deixá-la mais tensa e desconfortável. Portanto, vá com calma e não ultrapasse seus limites.

Usar lubrificante é primordial

Por conta da ação dos hormônios, as mulheres tendem a ficar menos lubrificadas depois do parto, especialmente se estão amamentando. Então, mesmo que seja dado o sinal verde para o sexo, é possível que a lubrificação ainda não seja a ideal. Nesse caso, o casal precisa caprichar nas preliminares e adotar um lubrificante à base de água para que o atrito do pênis não cause desconforto ou dor.

Informe-se sobre métodos de contracepção

Converse com seu ginecologista sobre as medidas contraceptivas mais adequadas para você, principalmente se estiver amamentando. Camisinhas lubrificadas podem ser boas aliadas do sexo nessa etapa, já que métodos como a pílula anticoncepcional combinada e o anel vaginal podem afetar o suprimento de leite.

Escolha uma posição boa para você

Não existe uma determinada posição para a retomada da vida sexual, por isso, a verdade é: a que você se sentir confortável. No início, algumas mulheres preferem transar de conchinha (com o par penetrando a vagina por trás), porque se sentem acolhidas e a penetração não é tão intensa. Mas variações como papai-mamãe e de quatro também são permitidas, desde que você esteja a fim.

É comum vazar leite durante o sexo

Por conta dos estímulos e da produção hormonal intensa, é natural, em muitos casos, que o leite comece a jorrar na hora H. Se isso for um incômodo para você ou para o parceiro, use um sutiã com absorvente de seios quando for transar.

Mantenha expectativas realistas

Para muitos casais, o cansaço acumulado, a adaptação à nova rotina com o bebê e as mudanças hormonais e físicas da mulher provocam um certo estranhamento. O medo da dor também pode impedir que o retorno ao sexo não se desenrole conforme o esperado. Nada os impede, entretanto, de apostarem em novas tentativas nos próximos dias nem de explorarem novos caminhos e carícias e retomar tudo aos poucos.

Não deu vontade ainda

Diante do cansaço extremo, do estresse e da irritabilidade, pode ser que você não queira nem pensar em voltar a fazer sexo. Além do hormônio e da rotina exaustiva de cuidados e pouco sono, muitos fatores podem ajudar para o desejo andar tão em baixa e é bom olhar para todos esses fatores e conversar.

O pai do bebê está dividindo as tarefas da casa e com o filho como você gostaria? Em uma fase de emoções intensas, não sentir essa partilha justa – bem no sentido de “estamos juntos” – pode fazer com que você não olhe para o parceiro com a mesma graça. Conversem, é importante você partilhar o que anda te deixando afastada.

Você não está se sentindo atraente ou bem com seu próprio corpo? Você acha que só cheira a leite agora? Ou seu companheiro não parece atraído por você? Ele está te vendo apenas como mãe? Conversem! É importante falar sobre isso e encontrar o casal que existe entre vocês. Não deixe esse mal-estar crescer.

Mas também não se culpem se a libido não estiver em alta no momento, acontece. O fundamental é que vocês abram o jogo e tentem “namorar” de outras formas – tentando ver um filme juntos enquanto o bebê dorme, fazendo um jantar especial, uma massagem, um carinho, tomando banho juntos… Tudo isso ajuda a melhorar o relacionamento e a esquentar, mesmo que aos pouquinhos, o clima de companheirismo, romance e desejo.

E mais:

+ Não descuide de seus relacionamentos

+ Seu corpo vai começar a voltar ao que era antes da gravidez (ou quase)

+ O vínculo entre pai e bebê

Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e gratuito.