Prestes a completar quatro meses de vida, o bebê começa a balbuciar mais e a emitir alguns sons – principalmente quando a mãe, o pai ou algum(a) cuidador(a) se comunica com ele. As crianças querem se expressar e gostam de ouvir o som da própria voz, então, converse bastante com seu filho – repare que ele vai testar os sons e as entonações. Vale, inclusive, imitar os barulhinhos que ele faz: “mamama”, “papapa”, “lalala” e “dadada” são os exemplos mais comuns desse pequeno vocabulário inicial pra lá de fofo.

Compreensão

O período de maior evolução da linguagem ocorre entre os 12 e os 24 meses de vida. Porém, saiba que, de acordo com especialistas, a linguagem compreensiva costuma se desenvolver mais rápido do que a expressiva. Isso quer dizer que desde muito cedo o seu filho é capaz de entender o que você quer dizer a ele, mesmo que ainda não consiga “responder” de volta. Por isso, é tão importante conversar com o bebê, chamá-lo pelo nome, repetir as palavras de forma clara e correta para ele.

Descarte problemas

E é por essa razão, também, que é bom ficar atenta e observar se a criança, conforme vai crescendo, consegue atender ou responder ao que você pede para descartar qualquer possibilidade de um problema mental ou auditivo. Até os 3 anos de idade, atrasos na fala não são preocupantes, mas verificar se existe ou não uma audição saudável é primordial.

E mais:

+ Meu filho não fala quase nada. É normal?

+ Linguagem em alta: o bebê começa a conversar

+ Momento de o bebê balbuciar e repetir palavras

Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e gratuito.