Responda rápido: você costuma bater papo com o seu bebê? Durante essas conversas, você fala de forma carinhosa e com um tom de voz “fofo”, caprichando na entonação das palavras? Pois está certíssima! De acordo com uma pesquisa conduzida pela Universidade Princeton (EUA), essa atitude é bastante positiva porque transmite afeto, amor e, principalmente, segurança. E mais: também incentiva o desenvolvimento neurológico e do vocabulário da criança.

É importante saber que os bebês criam a base do seu vocabulário com sons repetidos. Eles são melhor estimulados com palavras como “mama”, “papa” e “au-au”, mesmo que ainda não compreendam direito o que é dito. À medida que o seu filho for crescendo, porém, o uso desse recurso deve ir diminuindo para que a aptidão linguística seja trabalhada e adquirida.

A importância de nomear tudo

Mesmo que você se refira à criança como “meu amor” ou algum outro termo carinhoso, lembre-se sempre de dizer o nome de seu filho nas interações, para ajudar a criar um senso de identidade e ensiná-la sobre seu papel na família – e até mesmo na sociedade. Além disso, nomeie sempre os objetos, para que ele vá aprendendo aos poucos.

Prestes a iniciar o quarto mês de vida, nessa fase o bebê costuma responder com ruídos variados durante as conversas e espera que as pessoas façam o mesmo. Portanto, capriche na entonação de “ahs” e “uhs”!

E mais:

+ Barulhinhos gostosos: começa o desenvolvimento da linguagem

+ Linguagem em alta: o bebê começa a conversar

+ 5 dicas para estimular o seu filho

Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e gratuito.