Seu bebê já rola e talvez até consiga sentar. Em pouco tempo, vai tentar engatinhar, ficar de pé e andar. E, antes que ele adquira essa mobilidade, é bom que você olhe com atenção para sua casa e a deixe segura para que seu bebê possa explorá-la. A cada dois dias, uma criança morre no Brasil vítima de acidentes domésticos – afogamento, intoxicação, queda, queimadura… É a maior causa de morte na faixa etária que vai até 9 anos.

Colocar-se na altura do seu filho é um bom modo de começar, pois dá noção de perspectiva e do que estará ao alcance dele. BabyHome fez uma lista dos perigos possíveis (e das soluções) para ajudá-la nessa fase. Confira!

PUBLICIDADE

Janelas e varandas

A rede de proteção deve ser instalada assim que o seu filho começar a andar. Desde muito novos eles adoram empurrar cadeiras e, de uma hora para outra, aprendem a subir nelas. Se ainda não tiver tela nas janelas, afaste os móveis de perto delas e mantenha a casa segura para seu bebê.

PUBLICIDADE

+ 9 meses: treinando para começar a andar

Portas

Assim que os bebês começam a engatinhar, se engraçam com as portas. Para não correr o risco de prender os dedinhos, você pode colocar protetores de porta, daqueles de EVA no formato de U. Se não tiver, improvise com uma fralda de pano grossa ou toalha de mão, prendendo-a nos dois puxadores.

+ 8 meses: pronto para engatinhar e explorar a casa

Cortinas e persianas

Fios e cordinhas são um perigo, pois podem causar enforcamento. Deixe-os sempre amarrados na parte de cima, com um nó ou prendedor, de modo que a criança não os alcance.

Tomadas

Para uma casa segura, coloque protetores plásticos em todas as tomadas, pois são irresistíveis para a curiosidade do bebê. Você também pode improvisar colando um pedaço de fita crepe. Lembre-se também de sempre retirar os aparelhos elétricos das tomadas, depois de usá-los. E não deixe carregadores de celular conectados – há relatos de graves queimaduras em crianças que colocaram a ponta solta na boca.

Escadas

Instale grades de proteção para evitar o acesso dos bebês e crianças pequenas às escadas, tanto em cima como embaixo.

Piscinas

O acesso a elas deve ser protegido por grades, de preferência, ou lona. Ainda assim, confira se a lona está muito bem presa e aguenta o peso de uma criança. Se a casa em que você está não é segura pois não tem essa proteção (e isso inclui imóveis alugados para temporada ou residências de amigos e familiares), não desgrude o olho do seu filho – seja ele bebê, seja uma criança maior – e peça para trancar as portas que dão acesso à piscina. Caso esteja apenas passando o dia (como em um churrasco), deixe seu filho com boias e mantenha um adulto sempre ao seu lado, supervisionando. Bastam poucos segundos de distração para ocorrer um acidente.

Móveis e televisão

Antes mesmo de tentar escalar o móvel, eles vão puxar a TV ou o que estiver pela frente. E, se o aparelho ou móvel não estiver fixo, pode cair em cima da criança e até levar à morte – há casos assim, inclusive com crianças de 3 anos. Para evitar acidentes, fixe os móveis e os equipamentos à parede.

+ Mais autonomia do bebê, mais quedas e acidentes

Tapetes

Precisam ser antiderrapantes (emborrachados por baixo), para evitar que a criança escorregue e caia.

Plantas

Descubra se as plantas que você tem em casa são tóxicas ou não. Se forem, devem ser retiradas do alcance. Cuidado também para a terra, que muitas vezes acaba parando na boca dos bebês!

Sacos plásticos

Sacolas e sacos plásticos oferecem risco de sufocamento, por isso, não devem estar ao alcance dos pequenos nem devem ser objeto de brincadeira deles.

Enfeites

Olhe bem para os enfeites e adornos da sua casa. Tudo o que for pequeno, com risco de quebrar ou de soltar pecinhas, deve ser retirado do alcance.

Pets

Não deixe ração nem a água do cão ou gato acessíveis.

Pilhas

Use uma fita adesiva nos controles e aparelhos para evitar que o bebê tenha acesso às pilhas – sim, uma casa precisa ser segura até nos mínimos detalhes. Cuidado, especialmente, com pilhas de relógios. Os casos de ingestão de pilhas são muito graves.

Quarto do bebê

  • Trocador: se puder trocar seu bebê dentro do berço, melhor. Assim, não há risco de ele rolar de repente e cair. Basta um segundo de distração para isso acontecer. Mas, se for usar o trocador, mantenha sempre uma mão sobre a criança.

+ Vaivém: pronto para o movimento de rolar

  • Mantenha os produtos de higiene à mão. Se eles não estiverem no móvel onde você troca as fraldas ou ao lado, pegue tudo antes de começar a troca: fralda, pomada, algodão, água, roupa…
  • A cadeira de amamentação não pode estar próxima da janela.
  • O abajur deve estar fora de acesso, pelo perigo de enforcamento com o fio.
  • Quando o seu bebê começar a escalar o berço, é hora de passá-lo para um colchão no chão ou uma cama baixa – neste caso, use protetores com barras que tenham entre 5cm a 7 cm de distância entre uma e outra, para ele não ficar com a cabeça presa.
  • Mantenha os brinquedos sempre acessíveis, para que ele não tente subir para pegá-los.

Quarto do casal

  • Não deixe o bebê dormindo na sua cama, mesmo com travesseiros ao lado. Eles aprendem a rolar em um instante e podem cair.

+ Momento de sentar sem apoio… e pedir colo!

Salas de estar e jantar

  • Quinas de mesas e móveis: são um dos principais problemas. Você pode colocar protetores de quinas de silicone ou espuma, que encontra em lojas de bebê ou de artigos para reformar a casa. Alguns protetores de espuma são vendidos em rolo e podem ser aplicados nas laterais dos móveis e puxadores, caso a criança passe muito tempo perto deles.
  • Toalhas de mesa: o bebê pode puxá-la e tudo o que estiver sobre ela acaba indo para o chão ou a cabeça dele. Evite por um tempo.
  • Mesas de vidro ou espelho: bebês adoram jogar e bater com objetos e, sim, eles têm bastante força. Portanto, proteja sua mesa com uma toalha acolchoada e olho no seu filho!
  • Sofá: nunca deixe seu bebê sentado ou deitado sozinho por nem um segundo. De uma hora para outra, eles podem rolar ou projetar o corpo para a frente e cair.
  • Almofada: se colocar seu bebê para dormir no sofá, tome cuidado com as almofadas, para que ele não vire e fique sufocado.
  • Barzinho: as bebidas alcoólicas devem ficar em um móvel alto, sem acesso.

Cozinha

Definitivamente, lugar de criança não é na cozinha. Mas a gente sabe que é difícil mantê-los afastados de lá o tempo todo. Então, adote as seguintes regras de segurança:

  • Quando estiver cozinhando, não deixe seu filho entrar. Quem não tem porta pode tentar instalar grades como aquelas de proteção de escadas.
  • No fogão, nunca deixe cabos das panelas virados para fora. Se o seu filho tem acesso à cozinha, prefira cozinhar nos queimadores de trás.
  • Não deixe seu filho mexer nos acendedores do fogão, sob risco de deixar gás escapando.
  • Micro-ondas e fornos: bloqueie, se tiverem essa função. Caso o forno seja daqueles acoplados ao fogão, use uma trava.
  • Nunca deixe facas perto das bordas da pia ou em locais que seu filho possa alcançar.
  • Armários: deixe na parte de baixo apenas itens que ele pode pegar (louças de plástico, por exemplo, e panelas). Tudo o que for de vidro ou cerâmica deve ficar para cima. A qualquer hora ele vai descobrir as portas dos gabinetes e se divertirá brincando com o que encontrar. Mantenha os talheres na gaveta mais alta – ainda assim, quando ele já estiver andando ou de pé, conseguirá alcançar os itens mais próximos das bordas. Portanto, facas devem ficar no alto ou, no mínimo, no meio do gaveteiro. Garfos também costumam machucar. Para se sentir mais tranquila, você pode instalar travas nas gavetas e portas – os dedinhos do seu filho agradecerão.
  • Eletrodomésticos: cuidado com os fios soltos, para que as crianças não se enrolem nele.
  • Geladeira: se você tem coleção de ímãs, deve redobrar o cuidado. O melhor é retirar por um tempo, para evitar o risco de algum ímã cair e parar na boca do seu filho.
  • Mantenha fósforos trancados.
  • Não tome café ou outra bebida quente com o bebê no colo.

Banheiro

Outro lugar em que a criança não pode ficar sem supervisão de um adulto:

  • Se você tem água quente na pia ou banheira, não deixe seu filho mexer na torneira e cuidado quando prepara o banho. Eles aparecem do nada e já vão colocando a mãozinha para brincar. Se tiver como regular a temperatura, mantenha em, no máximo, 40o C.
  • A tampa do vaso sanitário deve estar sempre fechada e, se puder, coloque uma trava. Além do perigo de afogamento, crianças amam brincar com aquela água ou jogar objetos dentro – e, não raro, tentarão beber!
  • Uma pequena lâmina de água na banheira já é suficiente para o seu filho se afogar. No banho, não saia de perto.
  • Instale tapetes antiderrapantes na área do box ou da banheira e fora delas.
  • Remédios, produtos de higiene e secadores, aparelhos de barbear e depilar devem ficar em armários altos, trancados.
PUBLICIDADE

Lavanderia

  • Os produtos de limpeza precisam estar fora do alcance das crianças. Use uma trava por segurança.
  • Baldes e bacias são um perigo para afogamento, portanto, não deixe ao alcance. Da mesma forma, não mantenha água no tanque. Crianças são curiosas e podem cair de cabeça nesses lugares. Segundo a ONG Criança Segura, até 4 anos de idade, elas podem se afogar em recipientes com apenas 2,5 cm de água.
  • Na hora de passar roupas, seu filho deve estar longe. Crianças adoram puxar o fio do ferro e não são raros os acidentes. Evite fazer isso com ele acordado.

Anote!

Mantenha gravado no seu celular os números de emergência.

Quer saber mais sobre os perigos e os principais acidentes entre as crianças? Clique aqui e confira as dicas da ONG Criança Segura.

E mais:

+ Hora de ficar de bruços

+ Preparando os primeiros passos

+ Cada vez mais sociável: seu bebê descobre o mundo

Quer saber mais? Assine a newsletter de BabyHome e receba toda semana mais dicas sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e grátis.

Ei, gostou do conteúdo?
Então não deixe de assinar nossa newsletter e receba os melhores conteúdos sobre gravidez, maternidade e o mundo dos bebês. Além disso, receba grátis também 3 livros infantis em formato de e-book.

    É Gratuito ;)

      Ei, gostou do conteúdo?
      Então não deixe de assinar nossa newsletter e receba os melhores textos sobre gravidez, maternidade e o mundo dos bebês.
      É Gratuito ;)