Cuidar o dia inteiro de um bebê não é fácil. O pouco tempo de sono, os cuidados que se repetem em ciclos intermináveis, as tarefas de casa, os hormônios em gangorra, a dedicação intensa e a exaustão podem fazer com que você vire uma mãe nervosa ou estressada. Depois de meses nessa rotina, muitas mulheres, principalmente as que estão prestes a voltar de licença-maternidade, costumam experimentar um misto de emoções nessa fase.

PUBLICIDADE

Com o bebê sociável e interagindo cada vez mais, só de pensar em retornar ao trabalho e ficar longas horas longe do seu filho já dá um aperto enorme no coração. Deixá-lo aos cuidados de outra pessoa ou escola também pode dar um pouco de medo ou mesmo de ciúmes. E esse receio pode aparecer mesmo quando você só pensa em sair com as amigas e deixar o bebê aos cuidados de alguém.

+ Com quem deixar o bebê: babá ou na creche?

Mãe feliz, filho feliz!

Por outro lado, após meses de dedicação exclusiva ao bebê, a vontade de realizar alguma atividade “adulta”, conversar com outras pessoas e fazer algo para si mesma pode invadir seus pensamentos. Não se culpe se estiver querendo um tempo. É saudável ter momentos só seus e o seu emocional vai agradecer se você puder abstrair um pouquinho, relaxar ou olhar para suas necessidades. E, quanto ao trabalho, ele não paga apenas as contas, mas pode ser uma fonte de realização. Lembre-se: mãe feliz, filho feliz; mãe nervosa, filho chorando!

+ Sem culpa ao retornar ao trabalho

O primeiro conselho de BabyHome é: faça o que for bom o bastante primeiro para você. Lembra da história das máscaras de oxigênio do avião? A regra é: primeiro, você coloca em você, só depois nas crianças. Mães satisfeitas educam crianças alegres, carinhosas e com boa autoestima. Saia com suas amigas ou a sós com o parceiro, volte pra academia ou outra atividade que lhe dê prazer. Nem que seja uma volta para respirar e voltar mais relaxada e com mais paciência para as demandas do bebê. Afinal, ele sente o que você está sentindo.

Voltar ou não ao trabalho?

Com relação ao trabalho, se a decisão for voltar (ou se essa não for uma questão de escolha, porque você precisa trabalhar), analise bem como construir uma rede de apoio para ajudá-la e deixá-la tranquila ao longo do dia. E se organize para que o cotidiano seja o mais leve possível para a família.

+ É hora de formar sua rede de apoio materno

Caso tenha optado por ficar em casa com a criança, abrace essa escolha com todo o seu amor e convicção. É possível, no entanto, que à essa altura esteja muito cansada, então pare e reflita sobre sua rotina também. Ninguém quer ser uma mãe nervosa, não é mesmo?

Dicas para relaxar

Tente, por exemplo, usar técnicas de relaxamento antes de dormir. Vale beber um copo de leite morno, tomar um banho quente, fazer ioga, respirar profundamente ou (maravilha das maravilhas!) receber uma massagem.

Busque fazer as tarefas mais cansativas enquanto o bebê estiver acordado, entretido com alguma coisa – desde que, é claro, isso não interfira no seu tempo de brincar com ele. À medida que o dia for terminando, diminua o ritmo junto com a criança. E lembre-se: peça ajuda e delegue sempre que precisar.

PUBLICIDADE

E mais:

+ Que tal cuidar um pouco mais de você, mãe?

+ Como tirar e congelar leite materno

+ Como conciliar maternidade e estudo?

Quer saber mais? Assine a newsletter de BabyHome e receba toda semana mais dicas sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e grátis.

Ei, gostou do conteúdo?
Então não deixe de assinar nossa newsletter e receba os melhores conteúdos sobre gravidez, maternidade e o mundo dos bebês. Além disso, receba grátis também 3 livros infantis em formato de e-book.

    É Gratuito ;)

      Ei, gostou do conteúdo?
      Então não deixe de assinar nossa newsletter e receba os melhores textos sobre gravidez, maternidade e o mundo dos bebês.
      É Gratuito ;)