Febre, dor, vermelhidão, alergia, sonolência e edema no local são algumas das reações mais comuns e que podem surgir até 48 horas após uma vacina. Se persistirem por mais tempo, é importante comunicar o pediatra, que vai orientar sobre a necessidade ou não de um medicamento ou de algum cuidado específico. Alguns especialistas recomendam o uso de antitérmico antes mesmo da aplicação da vacina, então não hesite em consultar o médico sobre isso, pois cada caso é um caso.

Via de regra, a maioria dos bebês costuma chorar e ficar irritadiça depois de uma vacina. Para aliviar o incômodo, oferecer o peito pode ser uma alternativa confortável. Porém, vale lembrar que algumas crianças perdem o apetite por um ou dois dias após as imunizações. O sono excessivo também é um sintoma comum.

Manter a criança bem enroladinha numa manta, simulando a sensação que ela tinha dentro do útero, também pode ajudar – mas tome cuidado para não comprimir justamente a área da vacina. Balançá-lo suavemente no colo também é uma ação que acalma e oferece bem-estar.

Para amenizar a dor local, você pode aplicar compressas de gelo ou água gelada três vezes ao dia. Cubra sempre com uma fraldinha, para o gelo não entrar em contato direto com a pele do bebê, e mantenha por 15 minutos.


E mais:

+ Saiba quais são as vacinas que o seu filho precisa tomar

+ A importância das consultas regulares ao pediatra

+ 10 bons motivos para amamentar

Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e gratuito.