Acredite, a bolsa será sua companheira. Seja qual for o formato, você vai precisar dela para carregar fralda, troca de roupa, itens de higiene… A mesma mala da maternidade pode ser usada depois, no dia a dia. Para aproveitar melhor, veja dicas espertas antes de comprar a sua

Chegou o tão sonhado terceiro trimestre da gravidez. E, junto com a ansiedade de conhecer o seu filho e a preocupação sobre como será o parto, chega também o momento de preparar a mala da maternidade. A escolha não é tão fácil quanto parece, pois, se você se deixar levar só pela beleza, pode pecar na praticidade. Já se escolher um item grande demais, pode acabar com algo que não será tão funcional no dia a dia. “O ideal é comprar uma bolsa de maternidade já pensando que ela vai servir, não só para os primeiros dias do bebê, mas também toda a vez que você for sair com seu filho e precisar carregar fralda, lenço umedecido, troca de roupa, água, copinho, potinho… E por aí vai”, orienta a consultora materna Delen Fochi (@multibabyplanner). Para que você faça uma boa compra, BabyHome preparou um guia que esclarece todas as suas dúvidas. Confira:

 

Mala da maternidade: como escolher a melhor?
Mala da maternidade: como escolher a melhor? (Foto: Shutterstock)

 

Publicidade

Quando a mala da maternidade precisa estar pronta?

O indicado é que tudo esteja preparado por volta do período entre a 30ª e a 35ª semana de gestação. Em caso de gravidez múltipla, o ideal é que esteja tudo arrumado entre a 27ª e a 30ª semana, pelo risco maior de prematuridade.

A bolsa da maternidade pode ser a mesma que será usada depois, nos passeios?

“Sim e, inclusive, é o ideal. Só é importante ficar atento a isso antes da compra, para escolher um acessório que cumpra as duas funções”, explica Delen Fochi. Os pais também podem optar por levar uma mala de viagem para o bebê usar na maternidade e ter outra para os passeios. Isso fica a critério de cada família. “Como as mães idealizam demais, só precisam tomar cuidado, Isso porque, dependendo da família, se não for muito de viajar, investir em uma mala de viagem infantil, pode fazer o item passar períodos longos no armário, sem uso. Então, quando ela for realmente utilizada pode até não servir mais. Como hoje  falamos muito de enxoval inteligente e consciente, indico ter somente aquilo que realmente a família vai realmente usar. Minha sugestão é caprichar em uma bolsa de bebê que seja usada para diversos fins: maternidade, passeio, viagens”, diz Delen.

O que a bolsa do bebê precisa ter para ser funcional?

Pensando que a mãe vai carregar troca de roupa limpa (que pode voltar suja), fralda, itens de higiene e alimentação (leite, papinha, frutas), além dos itens pessoais dela, como celular e carteira, é importante que a mala tenha divisórias, seja impermeável por dentro e confortável. “É aconselhável que não seja grande demais para que possa ser encaixada na parte debaixo do carrinho. Imagine ter que sair com a criança, levar uma ‘bolsona’ e ainda empurrar o carrinho? Pode ser bem pesado e cansativo”, alerta Delen. Vale lembrar que bolsas colocadas nas manoplas e alças superiores do carrinho podem tombá-lo e causar um acidente. Portanto, escolher um acessório que se encaixe no compartimento que fica na parte baixa do veículo facilita a vida e ajuda a evitar acidentes.

É melhor escolher um modelo como mochila, de colocar nas costas, ou com alças para carregar na mão ou nos ombros?

Isso vai depender muito do estilo da mãe e do design de bolsa que ela gosta. As mochilas, como têm duas alças para as costas, geralmente distribuem melhor o peso do acessório pelo corpo, não ocasionando dores na coluna. É uma ideia bacana porque deixa as mãos totalmente livres. “Mas há quem não goste do estilo e também não curta muito deixar seus itens à mostra, atrás de si, por conta da segurança e pelo risco de alguém poder abrir e pegar algo lá dentro”, lembra Delen. Já a bolsa com uma alça, que fica apoiada na lateral do corpo ou transpassada pelo tórax, é mais segura, mas acaba não sendo tão confortável porque deixa todo o peso de um lado só. Como existem prós e contras dos dois modelos, cada um opta pelo melhor para si. A maioria das malas de maternidade tem alças na parte superior, permitindo carregar como mala, o que facilita bastante o transporte.

Qual é o tamanho ideal para a mala da maternidade, para ser usada depois, como bolsa do bebê?

Embora a vontade seja grande, às vezes, lembre-se: não dá para carregar a casa inteira, literalmente, nas costas. Então, é necessário otimizar ao máximo o que vai levar, pelo tempo que estiver fora. Um design clássico de bolsa de bebê tem geralmente 38 cm de largura, por 30 cm de altura, com profundidade de cerca de 14 cm. Geralmente esse tamanho, que é de uma bolsa média, comporta bem todos os itens que os pais vão precisar ter sempre à mão. Mas isso não é nenhuma regra.

É melhor a parte exterior da bolsa ser de tecido de algodão, couro, poliéster, nylon…?

“Não existe um tipo de tecido que seja considerado melhor. O importante é que o interior seja impermeável e fácil de limpar e o exterior, resistente e também prático para higienizar, ainda mais em tempos de pandemia. É isso que deve ser levado em consideração”, alerta Delen.

Cores neutras de bolsa são mais indicadas?

Para quem não quer errar no dia a dia, as cores neutras, como azul, preto e cinza são sempre boas opções. “Mas há modelos estampados também que são lindos. Isso depende muito do gosto de cada um. Só sugiro fugir do branco e tons pastel, principalmente se escolher uma bolsa de tecido, porque suja com mais facilidade”, aconselha Delen.

Como deve ser feita a limpeza da bolsa do bebê?

O recomendado é que a bolsa seja organizada quando se chega da rua, porque assim é retirado o que é preciso lavar ou o que será descartado. É neste momento que ela também deve ser higienizada. “Por dentro, recomendo passar um pano com sabão neutro ou álcool líquido, pois o gel pode deixar resíduo e grudar na roupinha do bebê, que tem a pele sensível. Já do lado de fora, é ideal passar um pano com sabão neutro ou álcool líquido”, explica. Se assim que chegar em casa os pais já limparem e deixarem a bolsa arrumada, com os itens básicos, ela estará sempre pronta para o próximo passeio.

Quais itens devem estar na bolsa do bebê nos passeios?

Isso vai depender bastante da idade da criança. Mas, no geral, para passeios com o bebê, Delen sugere duas trocas de roupa, cerca de quatro fraldas, lenço umedecido, pomada preventiva de assaduras e saquinhos para roupa suja. “Leite, suco e comidinha, depende em que fase da alimentação seu filho está. Claro que a bolsa da maternidade requer uma lista específica, que cada hospital geralmente pede com antecedência”, aponta.

Tem algum problema em usar a bolsa do bebê como bolsa da mãe?

Não, muito pelo contrário, isso facilita para não ter que carregar várias bolsas. “O ideal é ter uma em que você consiga carregar os seus objetos e os da criança. Divisórias internas na própria bolsa ou frasqueiras (compradas à parte) podem ajudar a acomodar óculos, máscara, chaves, celular e carteira, por exemplo”, diz Delen.

É importante a bolsa do bebê ter lugar para carregar garrafas e copos?

A maioria tem compartimento na lateral que cabe uma garrafinha ou copo. Mas, caso não tenha e você sinta necessidade de carregar um copo para hidratar ou alimentar a criança, você pode levar e acomodar dentro da bolsa. Viu por que é importante a bolsa ter divisória e o tecido interno ser impermeável?

Vale a pena comprar uma mala da maternidade ou bolsa do bebê cara?

Depende. Nem sempre a bolsa mais barata é ruim e nem a cara é melhor. Leve sempre em consideração a qualidade, o acabamento, a durabilidade e a funcionalidade do produto. Assim, você conseguirá achar um acessório com bom custo-benefício.

É melhor comprar apenas uma bolsa para o bebê ou ter mais do que uma?

Não tem limite exato. Tudo vai depender da situação socioeconômica de cada família. Você pode ter quantas bolsas quiser. “Mas, se você vai ter apenas uma para diversos fins (maternidade, viagens, dia a dia) é interessante que ela tenha boa durabilidade. Se pretende usá-la por bastante tempo, também fuja dos designs mais infantis porque a criança vai crescer”, orienta Delen. Só fique atento para não comprar mais do que o necessário. Talvez o ideal seja comprar uma, no início, e deixar para sentir a necessidade de ter mais depois.

Vale a pena apostar em kits de saquinhos e nécessaires para deixar tudo organizado dentro da bolsa?

Se a bolsa não tiver divisórias internas e você sentir a necessidade, é aconselhável, sim, comprar esses itens organizadores. “Muitas vezes, a criança está chorando, os pais precisam trocar, e vão perdendo tempo procurando a pomada, por exemplo, o que vai deixando o bebê mais irritado. Lembre-se que organização é economia de tempo”, esclarece Delen.

A que mais os pais devem ficar atentos na hora de comprar a mala da maternidade ou a bolsa do bebê?

O mais importante, além de tudo o que falamos, é respeitar o seu estilo, para encontrar uma bolsa que combine com você; procurar por um item funcional e que atenda às suas necessidades.

É preciso ficar atento ao peso que a mala da maternidade ou bolsa do bebê suporta?

Sim. A bolsa não é mala de viagem e deve ter sua capacidade de peso respeitada. Geralmente isso é informado pelo fabricante. Se você exagerar, a alça pode estourar, o tecido pode rasgar e o acessório terá uma durabilidade menor.

Por quanto tempo se usa uma bolsa de bebê?

Geralmente, dos primeiros dias até a criança desfraldar, próximo dos 2 a 3 anos. Mas, quem é pai ou mãe sabe que, mesmo depois disso, sempre é preciso carregar alguma coisa, nem que sejam os brinquedos, a garrafinha de água, uma blusa de frio, etc… Então, a bolsa do bebê não tem prazo de validade. Pode ser usada por quanto tempo a família quiser.

+ Berço do bebê: como escolher?

+ Cadeira de descanso para bebê: vale a pena?

+ Quer saber mais? Assine a newsletter de BabyHome e receba toda semana mais dicas sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e grátis

 

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.