Práticos e confortáveis, os carregadores de pano ou estruturados, como sling e canguru, caíram no gosto dos pais. Veja algumas dicas espertas antes de escolher o modelo ideal

Os slings e cangurus vêm ganhando a preferência dos pais e cuidadores do mundo todo, por permitirem estar sempre com o bebê por perto e com as mãos livres – e não é de hoje. Além da praticidade, eles estreitam o vínculo dos pequenos com os pais, facilitam a hora da mamada e até ajudam a evitar e a aliviar as temidas cólicas. Liberados para uso desde o primeiro mês de vida (desde que da maneira correta), tornam a rotina mais tranquila e deixam o bebê mais calmo. Afinal, quem não gosta de um colinho? A enfermeira obstétrica Karina Cristina (@karinacristina.aleitamento), de São Paulo (SP), explica tudo sobre eles. Confira:  

+ Jeitos gostosos de aumentar o vínculo com o seu bebê

Sling e cangurus para bebês: como comprar?
Sling e cangurus para bebês: como comprar? (Foto: Shutterstock)

Quais os benefícios dos carregadores (sling e canguru) para os pais e bebês?

As vantagens são inúmeras, pois o acessório deixa o bebê sempre coladinho ao corpo dos cuidadores. Isso acaba aumentando o vínculo entre filhos e pais, e evita, por exemplo, as temidas cólicas. Os carregadores também deixam a criança mais segura e tranquila porque os pais estão sempre por perto. Ainda é um acessório que facilita (e muito!) a amamentação. “Os pais acabam ficando com os filhos “no colo”, mas com as mãos livres, para poder fazer diversas atividades do dia a dia, como checar os e-mail ou fazer um relatório no computador, realizar um autocuidado, como manicure e pedicure, ir a padaria, supermercado…”, diz Karina. 

Publicidade

Sling argola, wrap, mei tai… É tudo a mesma coisa?

Não. Eles têm algumas diferenças:

Wrap: É um dos mais usados, indicado principalmente para recém-nascidos. O tecido longo permite várias amarrações e ajustes finos, que dão boa sustentação para a coluna do bebê, deixando o corpo dele confortável e ergonômico dentro do acessório. 

Argola:  É praticamente um tecido com duas argolas na ponta. As argolas acabam facilitando quem não tem tanta prática com as amarrações, porém, como elas ficam em um lado só, o peso da criança pode ficar mais propenso para um dos ombros, então, acaba não sendo tão confortável para carregar bebês pesados.

Pouch: Parecido com o de argolas, mas sem elas, é mais fácil de usar. Também deixa o peso do bebê em um ombro só e, por isso, costuma ser utilizado por pouco tempo. Esse tipo de sling não é recomendado para recém-nascidos, apenas para bebês, com 6 meses ou mais, porque não tem muitos ajustes e o recém-nascido pode ficar “afundado” dentro dele.

Mei tai: é um modelo mais usado na europa, mas também existe por aqui. A diferença dele, para todos os outros, é que vem com estruturas de sustentação prontas, como a base das costas mais larga, para apoiar a coluna do bebê. Permite que o peso do bebê seja distribuído nos dois ombros do cuidador. Há dois modelos: um indicado para bebês maiores e outro para recém-nascidos.

Qual é a diferença entre sling e canguru?

O canguru é um carregador pronto, tipo mochila, feito com material acolchoado, em que o bebê fica sempre na posição vertical. Como ele já é pronto, não requer nenhuma amarração. É indicado para bebês a partir de 3 meses, que conseguem sustentar melhor o pescoço. Já que a maioria dos modelos deixa a cabeça da criança livre, é preciso ter este cuidado. “Algumas marcas oferecem versões para recém-nascidos, mas, neste caso, acrescentam um suporte, que deve ser colocado dentro do canguru para deixar a cabeça do bebê mais firme”, diz Karina. Ele também permite que o peso da criança seja distribuído nos dois ombros do cuidador. Já o sling é um tecido longo, que permite diversas amarrações. Nele, o bebê pode ficar sentado (dependendo da amarração) ou deitado, em posição fetal. 

A partir de que idade os carregadores podem ser usados?

Dependendo do modelo, desde recém-nascido. “Os especialistas recomendam que até os 12 meses o acessório seja usado com o rosto do bebê sempre de frente para o cuidador, para que ele fique de olho na criança e não haja nenhum risco de acidente ou sufocamento”, alerta Karina. 

Até quando é indicado usar sling e canguru?

Não existe tempo limite. Só é importante ver a condição do acessório, se não está danificado ou rasgado, por exemplo, e se está dentro do peso adequado da criança. Se estiver sendo útil e confortável tanto para os pais, como para o bebê, pode ser usado até o limite de peso indicado pelo fabricante, que varia de 10 kg até 20 kg.

Os slings são sempre feitos de tecido?

Os slings, sim. Os tecidos mais usados para fazer o acessório são o algodão 100%, tricoline premium e dry fit –  este último é mais leve, indicado para o verão e lugares em que o clima é quente.

Como escolher o sling ideal?

O modelo ideal é aquele que atende às expectativas da família, deixa o bebê confortável e o cuidador seguro para usar. Afinal, de nada adianta ter um sling que fica sempre guardado no armário, não é? “O wrap sling, por exemplo, é bem gostoso para a criança e é muito tranquilo para quem vai carregar. Porém, se a pessoa ficar com medo de usar, não conseguir fazer as amarrações, não adianta nada comprar este modelo”, exemplifica Karina. Você pode fazer testes com modelos em lojas, assistir a vídeos que mostram o uso e as amarações e, assim, ter uma ideia do que funciona melhor no seu caso. 

A que pontos é importante ficar atento antes de comprar um sling?

Cheque o fabricante, veja se é de um lugar ou de uma empresa que você conheça. Também pesquise na internet para saber se não há reclamações sobre o produto e se outras pessoas usaram e avaliaram. Depois disso, escolha pela qualidade – e não pelo preço. Se você achar que está rasgado ou esgarçado, devolva. Também tome cuidado com o material da argola, caso escolha um que tenha. “É importante que ela não seja fina, oca, achatada, de plástico ou madeira ou que tenha emenda aparente. O indicado são argolas de nylon ou inox, maciças e roliças, com boa capacidade de sustentação para não quebrar e causar um acidente”, adverte Karina. 

Quais são as medidas de segurança para o uso do sling? Ele pode rasgar ou virar e a criança cair, por exemplo?

É muito raro um sling de qualidade rasgar. Por isso, é importante buscar sempre por produtos com procedência. Segundo Karina, muitas vezes os pais ficam procurando pelo preço e pela estampa e se esquecem de ver a qualidade do produto. Tenha sempre bastante cuidado ao colocar e tirar o bebê de dentro do acessório, para não causar nenhum acidente.

Os slings têm um tamanho padrão ou depende do tipo?

O wrap e o sling de argola são de tamanho padrão. Já o pouch sling e o mei tai têm tamanhos diferentes, para crianças maiores e recém-nascidos. O canguru varia muito de tamanho, de acordo com o fabricante. Embora ele tenha uma cinta para a cintura e ajustes nas alças, como uma mochila, algumas marcas oferecem tamanhos P, M e G, de acordo com a idade e peso do bebê.

De que tipo de material é feito o canguru? Ele é mais resistente que o sling?

Sim, o canguru é acolchoado e mais estruturado. É feito de poliéster, o que acaba deixando-o mais robusto e resistente a rasgos. 

Sling ou canguru: qual comprar?

Isso é uma questão muito particular, porque assim como tem pais que preferem o sling, há aqueles que se adaptam melhor com o canguru. O importante é achar um modelo que atenda às necessidades de quem vai usar e facilite o dia a dia da família. “Dependendo da idade da criança e de quando você for comprar o acessório, às vezes é melhor optar pelo canguru, que é mais indicado para os maiores”, explica Karina. 

Qual peso máximo sling e canguru aguentam?

Tanto o sling como o canguru suportam desde recém-nascidos (depende do modelo) até 10 kg a 20 kg. Precisa ficar de olho na indicação do fabricante, antes da compra.

Quando comprar um canguru ou sling?

Eu indico comprar junto com o enxoval, antes do bebê nascer, para você se acostumar com as amarrações e ajustes. O ideal é que você treine com um boneco, antes de colocar o bebê dentro. Claro que o brinquedo não é igual a criança que se mexe e chora, mas vai ajudá-lo a criar agilidade e segurança, para usar depois, quando o pequeno nascer”, adverte Karina.

Como evitar acidentes com os bebês nesses carregadores?

É importante observar a posição da criança, que deve ser sempre com os joelhos flexionados. Lembre-se que o nariz do seu filho deve estar sempre livre, para ele respirar com tranquilidade. Jamais deixe o queixo encostado no tórax, pois isso diminui a passagem de ar, dificultando a respiração e podendo provocar asfixia. Fique atento ao colocar e retirar o bebê do acessório e certifique-se de que ele está bem preso e seguro. Além disso, jamais use carregadores para fazer atividades que tragam risco para a criança, como cozinhar, por causa do fogo; manusear água ou copo quente, pelo risco de cair e queimar a pele; mexer em eletricidade ou com produtos tóxicos…

Por quanto tempo o bebê pode ficar nestes carregadores?

Não existe regra. Quando a criança é maior, os especialistas geralmente recomendam que os pais carreguem por poucas horas, somente o necessário, devido ao sobrepeso na coluna do próprio carregador. Afinal, é como se você estivesse com uma mochila o tempo todo. Da parte do bebê, enquanto ele estiver confortável, não há problemas.

Os carregadores são reguláveis para acompanhar o crescimento da criança e ajustar melhor?

Sim, tanto o sling como o canguru têm vários ajustes ou amarrações que acompanham o crescimento do bebê. 

Como limpar o sling e o canguru?

Os de boa qualidade podem ser lavados na máquina ou à mão. Só tome cuidado com os modelo de argola, já que podem danificar o eletrodoméstico.  

É melhor optar por tecidos de tons neutros ou estampados?

A escolha da cor e da estampa vai do gosto da família. Só cuidado com os tons escuros, como o preto. Isso porque eles acabam retendo ainda mais calor e isso pode superaquecer os bebês, principalmente nos dias quentes. 

É legal optar por modelos que tenham bolsos para carregar cartões e carteiras?

Se você optar por algum modelo que tenha bolsinha com zíper ou botão, pode ser prático para colocar o celular, o cartão ou a carteira, e ir à padaria, por exemplo, sem que seja preciso carregar mais uma bolsa. São detalhes que facilitam a vida. Há modelos de canguru que vêm com babador, que pode ser retirado e lavado, permitindo que o acessório fique sempre limpo e seco. 

Veja alguns exemplos:

Chicco Easy Fit Canguru
(Foto: Divulgação)

Chicco Easy Fit Canguru, 0+ Meses Permite que o bebê fique em posição ergonômica e segura com assento que garante a posição correta das pernas e costas.

Wrap Sling carregador de bebê
(Foto: Divulgação)

Wrap Sling Carregador de Bebê É feito de 100% Algodão, tecido antialérgico com costura dupla reforçada. Mede 5 metros de comprimento por 60 cm de largura, permitindo diversas amarrações. 

Sling de argola Best Sling
(Foto: Divulgação)

Sling de Argola Best Sling Liso Com BolsoÉ indicado para carregar bebês recém-nascidos até 20 kilos. Possui um bolso prático de aproximadamente 20 cm x 20 cm  que você pode guardar acessórios como paninhos de boca, chupeta, mamadeira, carteira, celular, chaves, fralda descartável entre outros.

+ Qual carrinho de bebê comprar?

+ Qual cadeirinha ou bebê conforto comprar?

+ Primeiro passeio com o bebê, um momento especial

+ Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e gratuito

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.