O fim da licença–maternidade e até mesmo uma saída mais prolongada de casa não precisam significar a interrupção do aleitamento. Se você congelar o leite materno direitinho, ele mantém todos os nutrientes que seu bebê precisa. E continua sendo uma importante fonte de anticorpos. Ou seja, será ótimo para a saúde dele.

Apesar de não ser a experiência mais fácil do mundo extrair leite com a bomba ou com as mãos, com um pouco de treino você pode fazer um estoque quando estiver longe do seu filho. E, assim, seu corpo entende também que precisa continuar a produção – além de evitar problemas como mastite.

+ 10 bons motivos para amamentar

Claro, a gente sabe que nem sempre você encontrará as condições perfeitas para a retirada, com um espaço aconchegante e apropriado para a extração – e o banheiro da empresa, definitivamente, não é o lugar adequado. Então vamos ao que interessa?

Qual é o melhor método para retirar?

Você vai precisar de uma bomba extratora, que pode ser manual ou elétrica, e sacos ou potes de vidro de armazenamento esterilizados. É possível retirar o leite só com o auxílio das mãos, mas nem todas as mulheres conseguem fazer a ordenha dessa forma – sim, a palavra é essa! O ideal é que você teste os tipos de bomba antes de comprar ou alugue uma – neste caso, se não se adaptar, é só trocar.

+ Descubra soluções para problemas na amamentação

Tenha paciência e persistência: às vezes, pode demorar até duas semanas estimulando as mamas com a sucção da bomba para que o leite saia na quantia necessária. Pode ser que nos primeiros dias você não consiga retirar nem uma gota. Insista! Geralmente dá certo e os benefícios para a mãe e o filho compensam. Quanto mais extrair, mais leite terá. Passe ao menos 15 minutos estimulando cada mama. Para economizar tempo, algumas bombas automáticas têm duplo encaixe, para ordenhar ao mesmo tempo.

Se a quantidade retirada ainda for pequena, você pode juntar o leite de uma ordenha com outra. Mas, neste caso, a data de validade vai ser daquele que você extraiu por primeiro.

Como extrair?

Procure um local com boa higiene, para evitar contaminação. Lave bem as mãos e os braços até os cotovelos com sabão. Se possível, passe álcool gel. Nos bancos de leite dos hospitais, por exemplo, as mães precisam colocar avental, touca, máscara e higienizar as mãos com sabão e álcool.

+ Sem culpa ao retornar ao trabalho

Não, você não vai ter essas condições no seu trabalho… Mas é só para entender que a higiene na retirada é realmente um assunto sério! Se der, aplique essas recomendações ou, no mínimo, lave as mãos e prenda o cabelo.

Como congelar e armazenar o leite materno?

Ele precisa ir direto para o refrigerador. Se você utilizar potes de vidro (com tampa plástica), é preciso esterilizar tudo antes: ferva-os por 15 minutos ou use esterilizadores que vão ao micro-ondas. Deixe secar sobre um pano limpo, com a boca para baixo.

O leite materno pode ficar na geladeira por até 12 horas sem prejuízo de suas propriedades nutricionais (evite deixar nas portas). Se passar disso, precisará descartá-lo. No freezer, ele pode ser conservado por até 15 dias, em temperatura inferior a 10 graus negativos, de preferência. Não esqueça de etiquetar sempre com a data e a hora.

Em alguns países, a recomendação é de mais tempo: 48 horas em geladeira e até 3 meses no freezer. Mas, para não haver dúvidas da qualidade, melhor seguir o menor período.

Como descongelar?

Para não perder os nutrientes, o leite deve ser descongelado naturalmente. Você também pode levá-lo a banho-maria. Mas, atenção: é só até ele atingir a temperatura ambiente, portanto, a água tem de estar apenas morna. Leite materno não pode ser fervido, nem aquecido diretamente na panela ou micro-ondas. Ao ser descongelado, ele terá a validade de 12 horas. Por isso, na hora de congelar, faça sempre em pequenos potes – 100 ml por exemplo. E nunca volte a congelar o leite materno.

Procure usar copinhos ou até colherzinha para oferecer o leite, e evitar mamadeiras – o bebê pode fazer confusão com os bicos e isso prejudicar a amamentação.

PUBLICIDADE

E mais:

+ É seguro doar e receber leite materno durante a pandemia?

+ Coronavírus, gravidez e amamentação: há perigo?

+ Quando introduzir papinhas e outros alimentos?

Quer saber mais? Assine a newsletter de BabyHome e receba toda semana mais dicas sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e grátis.