Alguns bebês, ao completarem 1 ano de idade, já conseguem se equilibrar e dar alguns passinhos – porém, de um jeito meio cambaleante (e bem fofo, convenhamos!). Agora é o momento propício para – literalmente – dar um passo adiante e auxiliar o bebê a andar pra valer.

Fique perto do seu filho e peça para ele andar até outra pessoa ou tentar pegar um brinquedo. Dois ou três passinhos para começar são suficientes. Outra boa ideia é “apresentar”, com essas caminhadas, a casa para ele explorar de pé. Você pode ajudá-lo segurando-o pelas duas mãos, depois apenas uma até ele se sentir seguro e se soltar do seu apoio. Vá deixando que explore o quarto onde dorme, o seu quarto, a cozinha, o banheiro… Para potencializar o estímulo, explique o que a criança faz em cada ambiente: “Aqui é onde você toma banho”, “Essa é a cama onde a mamãe e o papai dormem”, etc. Outro bom estímulo é deixá-lo de pezinho se apoiando no sofá e chamá-lo na outra ponta.

O que evitar nessa fase

Não deixe que o seu medo e senso de superproteção minem as descobertas e as evoluções do bebê. Tente não demonstrar susto ou nervosismo quando ele cair, porque isso pode assustá-lo e bloquear sua evolução. Mas, claro, esteja sempre por perto para quando ele quiser escalar o sofá ou subir e descer degraus, para impedi-lo nessa fase e explicar sobre o perigo. E não se preocupe caso ele ainda não esteja ensaiando os primeiros passos – o período esperado para essa conquista vai dos 10 aos 18 meses.

O perigo do andador

Lembre-se que o andador não é um aliado nesse processo. A Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Pediatra não recomendam seu uso devido ao grande número de acidentes com o equipamento, além de ele atrapalhar o processo psicomotor, ao invés de ajudar.

E mais:

+ Como deixar a casa segura para o bebê

+ Prontinho para caminhar

+ Mais autonomia, mais quedas

Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e gratuito.