Looking for BabyHome 
in Portuguese?
You are currently using English as your main language. If you want to change it to Portuguese, please click on the proper link:
Brazil
Português
United States
English or Portuguese
Esqueceu sua senha?
Sem problemas, digite seu email para criar uma nova senha.
Lembrou sua senha? Faça seu login aqui!
Você está quase lá!
Um email foi enviado para você
Abre seu email e clique no link
para resetar sua senha.
Senha alterada...
Tente logar com sua nova senha.
Password changed
É bom tê-la de volta!
Faça o Login e continue usando o BabyHome
Ou use seu email
Faça já seu cadastro
Descubra tudo sobre o seu bebê
Ou use seu email

Já tem uma conta? Faça seu login aqui!
Você está quase lá!
Enviamos um email de verificação para:
Abra o email e clique no link indicado
para ativar sua conta.

É hora de formar sua rede apoio materno

Confira a importância de ter a ajuda de avós e familiares nas primeiras semanas com o bebê em casa e tome outras providências

Um bebê demanda muito contato e tempo da mãe nos primeiros meses. Ele irá mamar muitas vezes, porque seu estômago ainda é pequeno e o leite materno de fácil digestão. As mamadas serão longas, porque ele não suga ainda com tanta eficiência. O tempo para arrotar parecerá eterno. Ele vai chorar com as cólicas, muitas madrugadas serão em claro. E as trocas de fraldas constantes. É uma rotina completamente nova e exaustiva em um período em que a mãe também precisa se recuperar do parto. É coisa demais para uma só pessoa. E, sem rede de apoio materno, a vida da mãe e a maternidade ficam muito pesadas.

PUBLICIDADE

Portanto, vale pensar, desde já, em quem poderá ajudá-la em casa ao menos nas primeiras semanas do bebê. Em todos os sentidos: ficar com o recém-nascido enquanto você toma um banho ou dorme um pouquinho, trazer um copo de água enquanto amamenta, fazer o bebê arrotar para você poder descansar um pouco, preparar a comida, limpar a casa, lavar a louça, as roupas, inclusive as roupinhas que se multiplicam no cesto… E cuidar um pouco de você, que também está se adaptando a essa nova rotina.

+ Com quem deixar o bebê: babá ou na creche?

Ajuda da família

O pai da criança costuma cumprir com esse papel no período de licença-paternidade, mas ela acaba rápido (5 a 20 dias). Por isso, além de contar com o apoio do parceiro, avalie chamar uma das avós ou outros familiares. Nós sabemos que você é ótima em dar conta de tudo, mas não precisa enfrentar esse período turbulento sozinha.

Não tenha vergonha de pedir ajuda e formar uma rede de apoio materno. E seja clara no convite: você precisa de alguém que ajude a cuidar das outras coisas enquanto você cuida do bebê. Porque, nesse momento, quem precisa de auxílio (e ser cuidado) é você.

PUBLICIDADE

+ Pós-parto: cuide bem de sua recuperação

Auxílio de uma profissional

Se o orçamento familiar comportar, aumente os dias de trabalho da diarista ou contrate uma mensalista para o serviço doméstico. Ter alguém que prepare a sua refeição será muito importante para sua recuperação. Se não tiver, monte um esquema de marmitas saudáveis congeladas ou delivery.

E, se você não pode ou não quer contar com as avós, analise a possibilidade de contratar uma babá ou enfermeira para ajudar nos primeiros cuidados – para ficar durante o dia ou à noite. A escolha segue, é claro, o seu orçamento e as suas preferências pessoais.

PUBLICIDADE

Apoio de amigas e outras mães

Para além dos cuidados com o bebê, você terá de lidar com a solidão materna. Formar uma rede de amigas que sejam mães ou estejam grávidas, com grupos nos aplicativos de mensagem e encontros periódicos ou mesmo uma saída para um café, é uma forma de aliviar esse peso emocional, ter apoio e tirar dúvidas.

PUBLICIDADE

Antecipe soluções para voltar ao trabalho

Outra questão crucial é refletir com antecedência sobre quem vai cuidar do seu filho quando você voltar a trabalhar. Com organização e planejamento, pode ter certeza de que qualquer caminho será percorrido com paz e tranquilidade.

E mais:

+ Sem culpa ao retornar ao trabalho

+ Baby blues x depressão pós-parto: entenda as diferenças

+ 12 dicas para lidar com o filho mais velho depois que o bebê nascer

Quer saber mais? Assine a newsletter de BabyHome e receba toda semana mais dicas sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e grátis.