Muito provavelmente você conhece alguém que teve sintomas fortes de gripe nas últimas semanas. É que há um surto de gripe, causada por alguns vírus do tipo Influenza, que estão circulando pelo país. Pois é: como se não bastasse a pandemia de covid-19, que ainda não acabou, temos que encarar outra doença com sintomas respiratórios circulando e derrubando muita gente. Embora o vírus seja bem menos letal, em relação ao coronavírus, é preciso levar a sério as medidas de prevenção. Aqui, BabyHome lista algumas maneiras de proteger seu bebê e de se proteger (sobretudo se estiver grávida). Acompanhe:

Publicidade

+ Vacina da gripe: por que ela é fundamental em tempos de pandemia

Surto de gripe: como proteger sua família
Foto: Shutterstock

1. Vacina, sim! Vacina, sempre

É a maneira mais eficaz de se proteger contra os vírus. A vacina contra a gripe protege contra algumas cepas do vírus Influenza e é atualizada todos os anos, ou seja, é preciso renovar a dose anualmente também. Ela pode ser tomada junto da vacina contra covid-19 sem nenhum problema. Grávidas e crianças fazem parte do grupo de risco e podem receber o imunizante nos postos de saúde. Existem também as vacinas disponibilizadas em clínicas particulares. Bebês de 6 meses a 2 anos precisam receber duas doses, com intervalo de 4 semanas entre elas. Pessoas com mais de 9 anos devem tomar uma dose por ano, segundo o Ministério da Saúde.

2. Uso de máscara e higiene contra o surto de gripe

Embora alguns municípios tenham dispensado a obrigatoriedade do uso da máscara, use e peça que as pessoas que convivam com você e com seu filho usem, sobretudo se tiverem sintomas respiratórios, como tosse, espirros e coriza. Além disso, aproveite para deixar ficar aquela mania que criamos de passar álcool gel a toda hora. Deixe frascos visíveis pela casa, para facilitar. Lave sempre muito bem as mãos e peça para que sua família e seus amigos façam o mesmo. A imunidade dos bebês e das grávidas pode ser mais baixa e, por isso, todo cuidado é pouco. Melhor pecar por excesso, nesse caso, não é mesmo?

Publicidade

3. Evite aglomerações

Estamos em época de festas e férias e depois de tanto tempo em casa, é normal que todo mundo queira se reunir para celebrar a vida. Mas é preciso ter cautela, ainda mais em meio a um surto de gripe. Se puder, prefira encontros menos numerosos, com poucos amigos e familiares, para evitar o contágio. Espaços abertos também são mais recomendados, porque o ar circula melhor. Se você acabou de ter um bebê, peça que as pessoas esperem um pouco mais para visitar seu filho, só para que ele possa, por exemplo, receber mais vacinas e melhorar a imunidade.

Termometro Digital de Testa Sem Contato G Tech

4. Não corra para o pronto-socorro (sobretudo em meio a um surto de gripe)

Em caso de sintomas gripais, evite a corrida desenfreada para o pronto-socorro. Se possível, fale com seu médico ou com o pediatra do seu filho antes e peça orientações. isso porque seu bebê pode estar com um quadro não muito grave e, ao chegar no hospital, sim, ter contato com pessoas contaminadas por outras doenças, como a covid-19, e ficar exposto. Mas atenção> isso a menos que seu bebê tenha menos de 2 meses e tiver febre. Aí, sim, ele precisa de um atendimento mais rápido. Em outros casos, observe os sinais, o estado da criança, se há vômito, se há indisposição. O tele-atendimento também pode ajudar a evitar idas desnecessárias ao hospital.

+ Febre em bebê e criança não é doença; novas recomendações

5. Não ofereça medicamentos por conta própria

A regra de ouro vale não só para a pediatria, mas para todo mundo: nunca tome ou ofereça medicamentos ao seu filho por conta própria. Consulte sempre um médico antes. A automedicação pode ser perigosa e, além de não resolver o seu problema, causar outros, pelos quais você não esperava. Misturar remédios também pode causar intoxicações. Evite.

6. Leite materno à vontade

A amamentação é uma das formas mais eficazes de proteger seu bebê, fornecendo nutrientes e aumentando a imunidade do seu filho. Se seu bebê tem menos de 6 meses, ofereça leite materno exclusivo e em livre demanda. Depois da introdução alimentar, se puder, mantenha o aleitamento como complemento à alimentação sólida até que seu filho complete 2 anos ou mais. E essa medida vale sempre – e não só em meio a um surto de gripe, hein?

+ 6 motivos para lavar o nariz do bebê sempre

Surto de gripe x sintomas de covid-19: como diferenciar?

Gripe

Covid-19

Febre alta

Dor no corpo

Indisposição

Falta de apetite

Tosse

Garganta inflamada

Diarreia e vômito (em alguns casos)

Febre

Tosse

Cansaço

Perda de paladar e/ou olfato

Dificuldade para respirar ou falta de ar

 

:

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *